Inspirações para o halloween – parte 2: Filmes de terror

Filmes de terror sempre foram populares, desde o nascimento do cinema, nos idos dos anos 1920. Podemos considerar certos filmes expressionistas, como O Gabinete do Dr. Caligari (Das Cabinet de Dr. Caligari, 1920), de Robert Wiene e Nosferatu (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens, 1922), de F. W. Murnau, precursores do gênero.

O Gabinete do Dr. Caligari, de Robert Wiene

Nosferatu, de F. W. Murnau

CLÁSSICOS

Entre 1960 e 1980, alguns clássicos, na sua maioria adaptações da literatura, consagraram o gênero e tornaram-se imortais, sendo referenciados até hoje. Listo aqui meus quatro favoritos:

4. O EXORCISTA (THE EXORCIST, 1973)

O Exorcista, de William Friedkin

O impacto causado pelo filme no público hoje é obviamente menor que o causado na época de seu lançamento. Com a banalização da violência e o auxílio de poderosos efeitos especiais, filmes de terror dos anos 70 não assustam tanto quanto assustaram seus contemporâneos. No entanto, tendo em mente a precariedade dos recursos tecnológicos dos quais se dispunha no cinema da época e tudo o que já havia sido feito nos filmes do gênero, entendemos porque até hoje esse é considerado um dos grandes filmes de terror do cinema, e porque ele sempre figura em listas desse tipo. A ausência de trilha sonora em determinadas sequências, a crueza  das ações e o ritmo perfeito fazem de O Exorcista imortal tanto quanto as forças que dominam a menina Sharon Spencer (Kitty Winn).

3. O ILUMINADO (THE SHINING, 1980)

O Exorcista, de Stanley Kubrick

Depois da obra-prima 2001: Uma Odisseia no Espaço (2001: A Space Odissey, 1968) e do aclamado Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971), Kubrick imprimiu a sua marca na adaptação do romance homônimo (1977) de Stephen King, por sinal, um dos autores mais adaptados  da história do cinema – e que, na época de lançamento do filme, não gostou do resultado final. Com a mesma técnica apurada e estilo perfeccionista, Kubrick criou um dos filmes mais tensos que já existiu, onde horror, gore e sustos se traduzem de forma única através de sua visão, destruindo as expectativas do espectador de forma positiva e elevando o gênero para outro patamar.

2. O BEBÊ DE ROSEMARY (ROSEMARY’S BABY, 1968)

O Bebê de Rosemary, de Roman Polanski

Com temática macabra, excelente construção de clima, soberba atuação de Mia Farrow e conclusão assustadora, O Bebê de Rosemary reverberou em minha mente por muito tempo, após assisti-lo. A esperança que a personagem adquire alimenta o espectador até o fim, numa excelente utilização do suspense, para então ser massacrada sem dó, o que provavelmente contribui muito para a dificuldade de se esquecer o filme depois de assisti-lo. Menos lembrado que O Exorcista e O Iluminado como um clássico do terror, O Bebê de Rosemary definitivamente me causou mais calafrios e medo de dormir no escuro.

1. PSICOSE (PSYCHO, 1960)

Psicose, de Alfred Hitchcock

Já falei sobre Psicose nesse post, e nesse também, porque é um filme importante, de um grande diretor, e por isso é desnecessário me repetir. Quem assistiu sabe, e quem não assistiu podia aproveitar o clima de halloween para fazê-lo!

MODERNOS

O gênero já passou por várias fases no decorrer das últimas décadas. Na década de 1980, filmes como Sexta-Feira 13 (Friday the 13th, 1980) e A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street, 1984) foram grandes sucessos comerciais, ganharam muitas continuações e remakes nos anos 2000.

Zumbis – bem representados por George A. Romero, em filmes como A Noite dos Mortos-Vivos (Night of the Living Dead, 1968) e Zombie – O Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead, 1978) – e vampiros foram temas explorados à exaustão, e atualmente voltaram às telas grandes e pequenas – em maior quantidade do que a desejada e de qualidade duvidosa, na maior parte dos casos. Um ótimo exemplo de abordagem moderna – e boa – aos vampiros é o sueco Deixe Ela Entrar (Låt den rätte komma in, 2008).

O cinema asiático, em especial o coreano e japonês, contribuiram para um boom de refilmagens americanas na década passada, de filmes com temática sobrenatural e abordagem absolutamente aterradora. Desses, destaco Ring – O Chamado, que está a próxima lista:

4. ABISMO DO MEDO (THE DESCENT, 2005)

Abismo do Medo, de Neil Marshall

A história é simples: 6 amigas partem para a exploração de uma caverna, ficam presas e tem de encontrar uma forma de sobreviverem a misteriosos seres que lá vivem. O que poderia desbancar para uma bobagem total, é na verdade um filme lotado de tensão e suspense, com momentos de puro horror, que consegue transmitir a sensação de clautrofobia com bastante precisão, tanto imagética quanto dramaticamente. Ganhou diversos prêmios, incluindo melhor filme de terror pela Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Movies dos EUA e melhor diretor pela British Independent Film Awards.

3. O NEVOEIRO (THE MIST, 2007)

O Nevoeiro, de Frank Darabont

O Nevoeiro é uma adaptação da novela homônima (1980) de Stephen King, e a terceira do autor feita para o cinema pelo diretor Frank Darabont. Numa pequena cidade norte-americana, uma terrível tempestade leva alguns moradores a buscarem alimentos num mercado para abastecimento preventivo. Eles acabam presos por um nevoeiro que esconde criaturas monstruosas e a partir daí o convívio alarmado pelo perigo iminente causa desavenças e tragédias alheias ou não aos misteriosos seres que os impedem de deixar o estabelecimento. Além do horror causado pelo desconhecido e pela impossibilidade de fugir, o filme foca na mudança de comportamento e moralidade às quais alguns podem ser levados em circunstâncias extremas.

2. OS OUTROS (THE OTHERS, 2001)

Os Outros, de Alejandro Amenábar

Numa mansão, Grace Stewart (Nicole Kidman) vive com os dois filhos e aguarda o retorno do marido, servindo o exército na Segunda Guerra Mundial. Por conta de uma doença rara que aflige as crianças, eles têm de viver com as cortinas sempre cerradas.Com a chegada de três novos criados, iniciam-se estranhos acontecimentos, e Grace passa a acreditar que há fantasmas na casa.

Lançado dois anos após O Sexto Sentido, Os Outros não escapou das comparações. No entanto, a meu ver, estes são dois filmes completamente diferentes, com abordagens bem distantes, e por isso, apesar de consider o filme de Shyamalan superior, escolho Os Outros para essa lista por se encaixar melhor no meu entendimento de filme de terror. Tudo no filme contribui para o clima de horror: a enormidade da mansão, a escuridão causada pelas cortinas fechadas, as carrancas dos novos criados, direção de arte, figurino e fotografia. Independentemente da conclusão da história – que gosto, por sinal – o mais importante é a forma como ela é filmada pelo diretor Alejandro Amenábar: com personalidade e precisão.

1. RING – O CHAMADO (RINGU, 1998)

Ring – O Chamado, de Hideo Nakata

Em Ring – O Chamado, uma maldição atinge aqueles que assistem a uma fita VHS. Depois de sete dias, a vítima recebe um telefonema e morre. Uma jornalista passa a investigar essas mortes e acidentalmente seu filho assiste à fita amaldiçoada, o que a levará a buscar a história por trás da maldição para evitar sua morte.

O filme ganhou um sequência e um prequel, além de uma refilmagem americana light, que foi um sucesso comercial e deu início a uma onda de refilmagens de filmes de terror asiáticos, como Ju-on – O Grito (Ju-on, 2002). Esse boom criou uma série de besteiras descartáveis, mas Ring é o perfeito exemplo de filme que arrepia os pelos da nuca, e, o melhor, de maneiras inesperadas.

FALSOS-DOCUMENTÁRIOS

A nova onda do gênero são os mockumentaries, ou falso-documentários, onde os eventos são filmados de forma a se acreditar que sejam reais, e o filme em si, uma compilação de imagens amadoras feitas pelos envolvidos na ocasião desses eventos. A Bruxa de Blair foi o pioneiro do gênero, e apoiado por uma campanha de marketing também falsa, causou curiosidade e elevou o nível de terror de seu conteúdo à máxima potência. Hoje, mesmo que retratados como “reais”, esses filmes são sabidamente ficcionais, o que não necessariamente diminui o impacto de seus conteúdos.

4. ATIVIDADE PARANORMAL (PARANORMAL ACTIVITY, 2007)

Atividade Paranormal, de Oren Peli

Atividade Paranormal teve 3 continuações, e uma quarta já foi anunciada. Enquanto o segundo e terceiro filmes apresentam-se como desnecessárias e mal-sucedidas tentativas de cópias, o filme original utiliza-se de forma bastante satisfatória da estrutura de falso-documentário, com um clima geral de tensão crescente, causando sustos nos momentos certos e medo pela proximidade que as imagens “amadoras” proporcionam.

3. A BRUXA DE BLAIR (THE BLAIR WITCH PROJECT, 1999)

A Bruxa de Blair, de Daniel Myrick e Eduardo Sanchéz

Apesar dos benefícios adquiridos pela campanha de marketing, A Bruxa de Blair é mais que uma picaretagem: é um filme realmente assustador. Com algumas sequências desnecessárias e um pouco de tempo desperdiçado, o filme redime-se na segunda metade, quando a tensão cresce e a presença da “bruxa” torna-se palpável. A sequência final, por sinal é uma das coisas mais assustadoras que vi na vida.

2. CLOVERFIELD (2008)

Cloverfield, de Matt Reeves

Em Cloverfield, um monstro gigante invade a ilha de Manhattan, trazendo caos e destruição. O fato de o filme ser um falso-documentário contribui imensamente para o seu sucesso, mas aqui, não como uma forma de muleta, e sim como recurso bem-empregado. A proximidade das câmeras proporciona ao espectador conhecer os personagens de forma satisfatória, o que não é exatamente prioridade em filmes do gênero. Essa proximidade potencializa a dramaticidade dos acontecimentos, e transforma o filme em algo mais.

1. [REC] (2007)

[REC], de Jaume Balagueró e Paco Plaza

Em [REC], uma equipe de reportagem acompanha um grupo de bombeiros numa chamada a um prédio residencial. Descobre-se, mais tarde, que há uma epidemia e o prédio é lacrado, com a equipe de TV e os bombeiros dentro. Os moradores do prédio estão transformando-se, um a um, em zumbis, e eles terão de encontrar uma forma de escapar. Com uma estrutura narrativa semelhante à de A Bruxa de Blair e Atividade Paranormal, onde a solução não parece mais clara ou possível conforme a trama evolui e um final trágico parece se aproximar, [REC] pode ser previsível, mas não por isso deixa de apresentar uma crescente tensão, cenas violentamente aprazíveis e um final de roer os dedos, qualidades imprescindíveis a um bom filme de terror.

E você? Quais são os seus filmes de terror favoritos?

Inspirações para o Halloween – parte 1: Mascarados do cinema

Inspirações para o Halloween – parte 3: Doces da nossa infância

Anúncios

8 Respostas para “Inspirações para o halloween – parte 2: Filmes de terror

  1. Gostei! Salve o Terror! Achei massa a sessão de falsos documentários, gostei da presença de Cloverfield e Rec! Na dos modernos, senti falta do Martires. Faço duas ressalvas um tanto quanto xiitas. E ambas relacionadas ao Stephen King. Gosto muito do nevoeiro, mas prefiro o final do livro, que me soa mais desesperador por ser aberto em contrapartida ao do filme que me é forte, mas é humano demais, destoa do restante do filme onde a problema (excetuando a Gay-harden, ótima) é o sobrenatural. A outra ressalva é mais polêmica, Iluminado, hehehe. Ótimo filme, péssima adaptação. Aqui, ao contrário do livro, Kubrick transformou o Jack Torrance em um verdadeiro psicopata, despindo-o de toda humanidade e drama que o personagem possui. E simplesmente O-D-E-I-O essa atriz, uma chorona! Tem um outro longa( loooongo) do Iluminado que acho mais arrastado, mas infinitamente melhor! Pronto, chega de verborragia! Abração pra você e pro Má!

    • Con, pensei em colocar Martyrs, mas como já falei dele em outro post, achei que poderia sugerir um outro no lugar. Mas com certeza está na minha lista de favoritos de terror!
      Nunca li nenhum livro do Stephen King, então só posso julgar os filmes por si só. Mas te entendo perfeitamente, porque sei bem como é um livro não ser bem adaptado para o cinema, no sentido de ser outra coisa, ou o livro ser melhor…
      Beijos!
      Juliana

  2. Assisti quase a todos, menos Cloverfield – Ou seja, a lista, pra mim pelo menos, tá muito boa! Sugiro Colocar Prometheus, e toda a sequência Alien também…hehe

    • Marcos, não gosto de Prometheus. Na página do facebook do blog tem a série de filmes que assisti e falo um pouco sobre o porquê de não gostar do filme!
      Não sou fã da série Aliens, mas faz muito tempo que assisti e preciso rever!
      Dê uma olhada na lista de filmes polêmicos também, acho que vai gostar! =)

Se você gostou ou não, concordou ou não e se tem uma lista que gostaria de compartilhar, deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s